• Luciana Mallet

Escritório de Arquitetura não é seguradora. Saiba o que esperar dessa experiência!



(Crédito: Ryan Ancill / Unsplash)

Em uma das sessões de consultoria, uma cliente um dia me falou, indignada, “arquiteto não é seguradora para ser acionado a cada problema!”. Desde então, achei a frase muito boa e guardei para virar post. E virou! O post que divulguei em minhas redes com esse tema tornou-se o mais compartilhado do meu Instagram desde sua existência.


Foram milhares de compartilhamentos, comentários e mensagens inbox. Não à toa, houve identificação do grupo de arquitetos (as) que me acompanham por lá, com a mesma sensação e frustração relata anteriormente pela minha cliente.


Pois então, vos digo: essa é uma das grandes frustrações dos profissionais de arquitetura: a quantidade de vezes que seu telefone é acionado para resolver todo e qualquer tipo de problema, sendo este de sua responsabilidade ou não.


E, para piorar a sensação de ‘bombeiro’, são poucos os elogios, agradecimentos e reconhecimento ao término da obra, segundo muitos que passam aqui pela consultoria. “Quase tudo foi executado à perfeição, mas o rodapé tem uma marquinha ali”, é um dos exemplos que frustram muitos profissionais no mercado.


Vale lembrar que o arquiteto é o responsável pelo desenho do projeto, pelas especificações, e eventualmente pela supervisão da execução da obra, mas não é seu papel garantir qualidade e excelência do produto e, principalmente, do serviço do outro, ainda que seja uma indicação do seu escritório.


“Mas Luciana, qual o papel do arquiteto?”, vocês devem estar se perguntando. Eu penso que seja saber projetar, avaliar melhores soluções para construção e reformas de espaços construídos ou não, conhecer especificidades de produtos, mas não ser responsável pelo trabalho de terceiros.


Por isso, sempre falo ao meus clientes que a melhor forma de sair bem de uma relação com os clientes é deixar muito claro até onde vai a responsabilidade do profissional, desde o primeiro contato. Por exemplo, dizer qual a sua disponibilidade para atendimentos e em quais horários, e qual o preço disso.


Atualmente, há muita falta de conhecimento, o que é natural, das pessoas sobre arquitetura. Muito ainda precisa ser explicado e cada um precisa fazer a sua parte. Você arquiteto, está fazendo a sua?


Estimule o recebimento dos elogios. Ao longo do caminho, pergunte ao cliente como ele se sente, quais os medos, o que pode melhorar e, também, o que está sendo melhor na experiência.


Mas, ainda assim, é preciso aprender a lidar com as possíveis queixas e comentários desagradáveis. Faz parte do processo. E não esqueça: com a comunicação, [quase] tudo tem solução. Exercite!


Sobre a arquiteta e consultora Luciana Mallet

Formada em arquitetura e urbanismo, Luciana Mallet sempre se mostrou dedicada à produtividade, pessoas e estratégia e, após trabalhar na área, decidiu repensar o mercado em que iria atuar dentro da arquitetura. Com a realização de um MBA em Gestão, Empreendedorismo e Marketing pela PUCRS, Luciana pode utilizar seu conhecimento e experiência como arquiteta para apoiar e desenvolver outros profissionais da área com consultoria e com a mentoria do planejamento estratégico para pessoas e organizações. Atualmente, atende cerca de 70 clientes por ano, de todo Brasil, que buscam um bom início de carreira e consolidação no mercado.


Para saber mais sobre o trabalho:

www.lucianamallet.com

coaching@lucianamallet.com

Instagram: @lumallet.para.arquitetos

0 comentário